Projeto Social Ocupe o Rio Doce

capa post riodoce

“O sertão vai virar mar

É o mar virando lama

Gosto amargo do Rio Doce

De Regência a Mariana”  Fala Mansa e Gabriel o Pensador

Você se lembra do desastre ambiental ocorrido pelo rompimento da barragem de Fundão em novembro de 2015 no município de Mariana?

Sabemos que muito se fala e pouco se faz a respeito disso. As pessoas (com razão) reclamam e esperam que a Samarco, demais empresas responsáveis e o governo tomem providências. Sim, a justiça tem que ser feita e medidas precisam ser tomadas. Mas será que nós, pessoas comuns, poderíamos fazer algo para ajudar? Eis que surge em Brasília um pessoal jovem e cheio de garra,  que arregaçou as mangas e se uniu para começar a contribuir com as vítimas do desastre.

vivencia

O projeto Ocupe Rio Doce surgiu a partir da parceria de 4 instituições de Brasilia (Engenheiros sem fronteiras –Núcleo Brasília, Ocupe o Lago, Comitê Estudantil pelo meio ambiente- CEMA e Longsisters BSB) para ajudar a mitigar os impactos causados pela maior tragédia ambiental brasileira, que deixou mortos, feridos e desabrigados, contaminou o solo e as  nascentes e tirou o sustento de milhares de famílias, prejudicando a fauna, flora e atividades econômicas como a pesca, a agricultura, a pecuária, o turismo e o comércio.

Uma das maiores áreas atingidas por essa calamidade foi a zona rural. Como o solo e a água estão contaminados e inapropriados para o uso, o Projeto tem o intuito de ajudar as famílias pela capacitação e replicação de tecnologias sociais em água e saneamento básico, ensinando à população de maneira simples e econômica a construir  um sistema de captação de água pluvial e uma bacia de evapotranspiração para tratamento sustentável do esgoto para cada residência. Desta maneira, as famílias poderão usufruir de água limpa para consumo próprio e para irrigação, ao mesmo tempo que utilizarão um sistema de tratamento de esgoto adequado e não poluente.

A equipe do Projeto Ocupe Rio Doce é formada por pessoas das mais diversas áreas: estudantes, biólogos, publicitários, engenheiros civis, elétricos, florestais, ambientais, agricultores familiares, advogados, arquitetos, permacultores, turismólogos, administradores, entre outros, e estão muito organizados, ganhando força e fazendo aliados. Eles estiveram na região de Mariana em algumas expedições, onde dialogaram com autoridades, com a Samarco, visitaram os locais mais devastados e conversaram com vítimas do desastre para coletar dados, criar parcerias e conhecer de perto a triste realidade da tragédia.

2.2 3.3 1.1

No mês de março, realizaram seu Projeto Piloto em Brasília, no Sítio Velho Chico, onde treinaram e capacitaram os voluntários que ajudarão a implementar as tecnologias nas regiões rurais mais afetadas do município de Mariana.

3 2 1

Atualmente o Projeto tem recebido doações de empresas e pessoas e captado recursos através de crowdfounding  para a terceira expedição, onde ocorrerá efetivamente o treinamento aos moradores locais e demais voluntários da região.

Conheça mais o projeto através do site http://ocuperiodoce.org/ e pela página do facebook  www.facebook.com/ocuperiodoce . Além disso, você pode  contribuir fazendo uma doação através do http://juntos.com.vc/pt/ocuperiodoce.

A ação de projetos como esse nos faz refletir que, por mais que o governo e a iniciativa privada tenham que fazer a parte deles, nós podemos também sair da zona de conforto e fazer a nossa, criando e apoiando projetos transformadores, exercendo a nossa cidadania e a nossa humanidade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>